sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Governo que tem 77% de rejeição não poderia gosta de gente e diminui verba do Esporte


Os investimentos nacionais para o esporte terão uma diminuição menor do que o esperado. Pelo menos é o que garante o ministro Eduardo Picciani, que revelou a informação nesta quinta-feira (9). Após uma conversa com o presidente Michel Temer, foi sinalizado o valor de R$ 630 milhões a serem investidos nos desportos brasileiros. Anteriormente, um corte de 87% havia sido anunciado pelo Ministério do Esporte. 

No entanto, o governo voltou atrás e, mesmo com uma diminuição significativa, disponibilizará uma quantia milionária à estrutura esportiva – o valor, contudo, ainda é muito aquém em relação aos R$ 1,3 bilhão investidos em 2016. "A proposta inicial era muito dura, retrocedia muito no orçamento do Esporte e prejudicava o andamento da maioria dos programas, teríamos que escolher quem viveria e quem morreria, qual programa continuaria e qual seria paralisado.
Eduardo Picciani (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Nesse momento, estamos executando entre R$ 700 e R$ 750 milhões, e temos pouco mais de R$ 630 milhões já garantidos. Mais uns R$ 200 milhões e estaríamos com possibilidade de tocar sem sustos", avisou o ministro. Apesar da sinalização do valor, Picciani admite dificuldades financeiras, sobretudo por conta do momento vivido pelo Brasil. 

"A gente tem a preocupação com o orçamento. Esse ano já foi de bastante restrição orçamentária, não só no Esporte, mas em todas as áreas do governo, reflexo do momento econômico do país. Avançamos nas negociações com o governo, resolvemos o déficit em 75% com o Ministério do Planejamento", argumentou.